Sobrenatural – O vulto que me salvou da morte (Leia)

Saulo A. T. (1990) – Campinas – SP
Transcrito por Anna Riglane
 
 
Um fato sobrenatural que me aconteceu quase me fez mijar nas calças, mas também salvou a minha vida.
Moro em Campinas, mas faço muitos serviços em São Paulo, numa região de bairros nobres. E foi fazendo um serviço que conheci uma mulher muito bonita e atraente, mas casada.
Começamos a nos encontrar em um motel, que ela fazia questão de pagar, mas logo ela passou a me receber na sua própria casa, no quarto e na cama do casal.
Eu sabia que aquilo estava errado, me sentia culpado, não queria que acontecesse coisa igual comigo, mas como a mulher era muito agradável e a nossas transas cada vez mais quentes, quase não falhávamos uma semana.
No início era durante o dia apenas, mas logo ela aproveitava as viagens do marido, um alto executivo, para me fazer pousar com ela. Era mais chato ainda, porque além do risco que eu corria, anda tinha de dar um nó na minha esposa, inventar que estava fazendo trabalhos noturnos.
Mas como era gostoso…
E foi assim que, numa certa noite, eu estava sobre o corpo da mulher, já a meio caminho da segunda, quando vi uma sombra projetada na parede em frente. Gelei na hora, brochei, com a certeza de que a sombra era do marido dela, que estava atrás de mim, possivelmente com uma arma na mão.
Dei um salto assustado, ela também se assustou, não entendia o que estava acontecendo, e menos ainda porque eu estava pálido, tremendo sem controle, mesmo depois de ver que não havia ninguém mais no quarto e que, mesmo que houvesse, não havia como ter sombra, pois o ambiente estava quase que totalmente escuro.
Foi quase meia hora até voltar ao normal… quer dizer, até eu me arribar novamente, isso depois de muito trabalho manual e oral da mulher.
Mas quando arribei, quando estava novamente sobre ela, aparece novamente o vulto, e dessa vez eu tinha a certeza de que me apontava uma arma.
Larguei a transa pela metade, me vesti nem sei como, de tão apavorado que eu estava, saí do quarto, saí da casa, ia pegar o meu carro no quintal quando vi um outro carro chegando. Me escondi nuns arbustos e logo vi um homem passar por mim a passos largos, demonstrando grande nervosismo… e com uma arma na mão.
Só esperei ele entrar, para descer o meu carro em porto morto até o portão, e só então ligar e acelerar feito um louco pelas ruas, no meio da noite… dirigi direto até a minha casa, cheguei assustando a minha esposa, mas não contei o que tinha acontecido.
Nunca mais voltei na casa da mulher e nunca mais a vi. Só falei com ela pelo telefone e fiquei sabendo que aquele homem era o marido dela, que havia simulado uma viagem só para pegar e matar a nós dois. Mas chegou em casa e não viu nada.
Quanto a mim, até hoje ainda tremo da cabeça aos pés só de pensar no que podia ter me acontecido e, o que me deixa mais assustado ainda, que vulto era aquele?

 


Encontre mais contos eróticos da Anna Riglane também na

amazon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s