Cagaço (Assine)

Cagaço

Quase Morto da Silva (1983) – São Paulo – SP

Transcrito por Anna Riglane

Já fiquei sabendo, por vários meios, de muitas histórias de maridos que pegam a esposa e o amante no flagra e queima os dois. São flagrantes na entrada do motel, na saída do motel, no carro, no shopping.

Mas tem também histórias de amantes que foram pegos no ato, na cama, peladões da silva, gemendo de prazer… gemendo de dor. Isso quando dá tempo de gemer.

Fico só imaginando o desespero o cagaço diante de um homem enfurecido e com uma arma na mão.

E se o flagra for na casa do corno, na cama dele, a “paura” deve ser maior ainda. O sujeito peladão, a mulher gritando desesperada, o corno tremendo de raiva, soltando faísca pelos olhos, pronto para atirar.

Caga nas calças ou não caga?

Só não caga nas calças porque está sem calça, mas que dá um desarranjo intestinal desgraçado, isso dá… e desarranjo urinário também.

Quer dizer, além de por chifres, ainda embosteia a cama do outro.

Assine para continuar lendo

Assine por R$ 9,90 mensais e tenha acesso a centenas de contos renovados periodicamente


Encontre mais contos eróticos da Anna Riglane também na

amazon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s